sábado, 13 de agosto de 2011

Guardanapo de papel XVIII

Qualquer coisa involuntária que dói, como uma cãimbra... Mas, não há o que possa prevenir, não tem controle, nem cura. É meu coração, espasmado

Um comentário:

Roberto Borati disse...

que escrito rasgado em um guardanapo.

gostei, muito.