sábado, 5 de novembro de 2011

Flora desnudada

Usava alças, verdes, como ramos
que se fundiam as folhas e flores
estampadas naquele tecido, leve
o vento soprava e aos poucos
ramos, folhas e flores
descobriam a fruta
um pêssego,
imaturo.

Um comentário:

Roberto Borati disse...

gosto de verde e esse poema também está nos trinks, mas prefiro seus guardanapos marcados.