sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Guardanapo de papel XXII

Que as minhas mãos sejam para os seus cabelos, o que o vento é para o trigal.

Um comentário:

Roberto Borati disse...

uma suavidez só....ótimo.