segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Carmim

E os meus lábios desbotam
perdem a cor carmim
ao mesmo tempo
em que a pele
desnuda dele
vai se colorindo
se estampando
de beijos num
degradê de
vermelhos

intensos.

5 comentários:

Um Eremita disse...

"(...) uma propensão intelectual para o duro, o horrendo, o mal, o problemático da existência (...)"

Até que enfim outro ser humano - preferencialmente do sexo feminino - com os mesmos pendores que eu.

Um Eremita disse...

Ah, quando eu disse "preferencialmente do sexo feminino", não foi nenhuma piadinha-rídicula-machista-sexista e nem uma dessas cantadinhas virtuais babacas. Foi apenas porque, na minha experiência pessoal, das poucas pessoas que encontrei com os mesmos pendores, a maioria eram homens.

F. Schimanski disse...

Eu sou um tanto homem ou tanto mulher, sou coisa e sou pessoa, brisa e vendaval, mal e bem, carinho e tortura, sou um quase tudo nem ser nada... o que precisar e o que desejar, mas ainda longe do chamado 'perfeito', mas me esforço.

Um Eremita disse...

Interessante sua multiplicidade. Entendo-te bem, considerando que você está falando com um cara que gostaria de ter nascido mulher para ser lésbica...

Aliás, esqueçamos o "perfeito". Isso tira toda a graça que as máculas e imperfeições da vida nos proporcionam.

Ricardo Novais disse...

Excelente! Excelente! Embora a excelência nem sempre seja uma coisa agradável, pois nela implica a superficialidade das ideias, no caso deste teu blogue, querida Fernanda, excelente é o adjetivo mais simples e conciso que encontrei para manifestar a impressão que tuas letras causaram neste desgraçado leitor teu. É causa deste "degradê de vermelhos...".

Um beijo a ti. ;)